9 de mar de 2012

10 sites e serviços que facilitam relações extraconjugais e temas relacionados à sexualidade


Que os avanços tecnológicos e a ascensão da internet tem a cada dia facilitado o contato com os conteúdos sexuais como a pornografia, não é mais novidade. Mas obviamente a coisa não ficaria só aí. Um recente levantamento do Ministério da Saúde apontou que 7,3% da população brasileira já fez sexo com um parceiro que conheceu virtualmente. Esse número vem acompanhado, segundo o ministério, do aumento do número de relações casuais: 9,3% das pessoas entre 15 e 54 anos tiveram mais de cinco parceiros nos doze meses anteriores à pesquisa, contra 4% de um levantamento anterior feito em 2004. Quando o corte é aumentado para pessoas com até 64 anos, o número cai para 8,8%.


O papel das Redes Socias comuns também é marcante: Duas revistas norte-americanas (“Shape” e “Men’s Fitness”) realizaram uma pesquisa que deve ser levada em consideração. A pesquisa aponta que redes sociais (Facebook, Twitter, Orkut, Myspace...) e o famoso SMS podem agilizar o processo da conquista e, conseqüentemente, o sexo.

Mulheres foram entrevistadas e 80% delas disseram ter tido relações sexuais rapidamente com a grande ajuda de proximidade das redes sociais. Quanto aos homens, a porcentagem é menor, mas também elevada. 

Hoje já existem os mais diversos "serviços" para quem quem viver uma aventura sexual seja ela qual for. Veja uma lista com 10 sites/serviços que que oferecem auxílio a quem estiver interessado:


1- Site que permite que jovens ofereçam sexo em troca do financiamento para a faculdade
seekingarrangement
Estudantes que desejam ter sua faculdade financiada estão encontrando sucesso em um site chamado Seeking Arrangement (ou Dando um Jeitinho, em português). O site consiste em criar uma "relação de troca" entre seus usuários.
Homens e mulheres que acessam o Seeking Arrangement procuram uma "relação mutuamente benéfica", isto é, ganhar dinheiro em troca de sexo. Muitos estudantes que não tem mais o apoio dos pais estão procurando o site para encontrar homens e mulheres mais velhos, que estejam dispostos a financiar a faculdade e seus gastos, em troca de relações sexuais.

2 -  Rede social para encontrar acompanhantes

Já sabemos que existem diversas redes sociais, dispostas a ajudar na escolha do par ideal, mas dessa vez, a proposta é diferente. Foi criado recentemente um site chamado Utoopi, o único aplicativo mobile com um objetivo bem atípico dos convencionais: ele te auxilia a encontrar a pessoa perfeita para te acompanhar em eventos, festas e baladas em geral, podendo até acontecer àquela química de primeiro encontro, mas tudo sem compromisso nenhum. A rede social te possibilita escolher que tipo de acompanhante você quer encontrar no evento. Você pode optar pelo sexo do indivíduo (masculino, feminino, gay, entre outras opções bem peculiares do site), a localização do evento (que irá te dar algumas alternativas de pessoas, acessíveis ao local proposto), entre outras opções, nada muito difícil de mexer.

3 - Second Love: a primeira rede social para homens e mulheres infiéis a desembarcar no Brasil.

Second Love (Foto: Second Love)

Para participar é preciso ter entre 25 e 75 anos. Os membros precisam desembolsar custosos R$ 139,80 mensais para usufruir do serviço, ou criar um perfil gratuito que dá apenas direito a pesquisar e ler perfis. Existem pacotes promocionais para quem adquirir vários meses de uma só vez (um semestre, por exemplo, sairia por R$ 270).

Para as mulheres, o primeiro mês é gratuito. Entre os serviços indisponíveis para quem não possuir um plano de assinatura, estão o envio de até 50 mensagens diárias, a criação de um álbum de fotos privado e a possibilidade de ver fotografias em perfis alheios. O site não deixa claro se haveria alguma outra vantagem para os pagantes, além de uma atenção especial em caso da necessidade de um suporte.

4 - Ashley Madison: A vida é curta. Curta um caso.

Ashley Madison (Foto: Ashley Madison)

Outra redde de relações Extraconjugais. O site de relacionamentos se originou nos Estados Unidos no ano de 2001, ou seja, anos antes de grandes redes sociais como Facebook, Myspace ou o Orkut. De acordo com a Ashley Madison, já existem 150 mil membros cadastrados no Brasil.

O serviço é inteiramente gratuito para mulheres, enquanto homens precisam adquirir créditos para enviar e receber mensagens, trocar fotos privadas ou bater um papo em salas de chat, além de aparecer primeiro nos resultados de pesquisa. Você precisará de um cartão internacional para comprar e pagar em dólares: para adquirir 100 créditos, você desembolsa US$ 69. O pacote de 500 créditos sai por US$ 205 e o de 1000, US$ 340.

Arte perfil Ashley Madison Brasil (Foto: Editoria de Arte/G1)

Os usuários gratuitos podem enviar e receber fotos (que não sejam privadas), adicionar usuários à sua lista de favoritos, responder a qualquer assinante e fazer pesquisas. Outra função, aberta a todos os usuários, é a "piscadinha", opção de flerte que lembra as "cutucadas" do Facebook.

5 - LocalSin: um aplicativo para smartphones focado para casos de uma noite só.


Mulher no celular (Foto: Philipp Nemenz/Getty Images)

O programa tem como objetivo encontrar pessoas próximas a você que também estejam com vontade de ter um caso de uma noite só, sem compromisso. Com LocalSin, os usuários podem verificar quantas pessoas solteiras estão em um determinado lugar - como um bar, discoteca, ou centro da cidade - antes de sair. O aplicativo promete aumentar as probabilidades de ter sorte em uma noite em até 90%. Desde o seu lançamento, ele tem atraído dezenas de milhares de utilizadores em busca de uma relação casual.

O aplicativo, que atende a homens e mulheres de todas as preferências sexuais, dá aos usuários acesso ao "mapa da paixão" em tempo-real, uma lista mostrando a localização dos "compatíveis" - outros usuários com interesses similares - na área. Em seguida, eles são capazes de entrar em contato direto com a pessoa e propor um encontro.


6 - Site mostra em um mapa onde as pessoas acabaram de fazer sexo

Conte onde você fez sexo (Foto: Reprodução)
O I Just Made Love serve para contar pra todo mundo que você fez sexo. O serviço usa o mesmo conceito do Foursquare, e você pode fazer um check-in no local onde acabou de ter a relação sexual. O serviço é bem completo, para uma proposta que só serve para divertir. Entre outros detalhes, você pode selecionar o local onde a relação aconteceu (casa, hotel, motel, ao ar livre, dentro do carro e até em um barco), se usou camisinha ou não, se foi a primeira vez e até dar uma nota para a parceira. Tudo de forma anônima.

7 - Ohhtel, primeira rede social desenvolvida especificamente para quem está em busca de relações extraconjugais

Ohhtel (Foto: Divulgação)
Ao entrar no site, a primeira coisa que o usuário vê: uma mulher fazendo sinal de discrição. Ao lado dela, uma caixa de seleção permite definir sexo e faixa etária dos demais usuários. Esse é o Ohhtel, primeira rede social desenvolvida especificamente para quem está em busca de relações extraconjugais. Amantes mesmo, de acordo com a linguagem popular.

Informações no site dão conta de que há mais de 1 milhão de pessoas cadastradas na rede social, entre homens e mulheres. Inclusive há diversos depoimentos de quem utilizou e aprovou essa forma de procurar amantes.
Site instalou outdoor no Rio com imagem do Cristo (Foto: Divulgação)
Site instalou no Rio outdoor com imagem do Cristo Redentor
Como a moralidade do Ohhtel pode ser colocada em dúvida com facilidade, a defesa para esse tipo de acusação está mais do que pronta: segundo seus criadores, trata-se de uma rede social como alternativa para o divórcio. Ela seria bastante útil para quem tem um casamento, com família constituída e tudo mais, mas está privado dos prazeres do sexo.

8 - Aplicativo para Smartphone ajuda a encontrar mulheres na night

Wheretheladies.at (Foto: Divulgação)

O Wheretheladies.at é um aplicativo que se utiliza de geolocalização para avisar onde se encontram mulheres em um mesmo ambiente que você. O aplicativo é para iOS e não passa de uma bússola gigante que aponta a direção de mulheres que fizeram check-in pelo Foursquare na boate em que você se encontra, se for o caso.

Para assegurar que a pessoa ainda esteja no mesmo ambiente que você, oWheretheladies.at só conta os check-ins feitos nos últimos 30 minutos, um tempo mínimo para garantir que a pessoa em questão acabou de chegar e, melhor ainda, possivelmente esteja sozinha. Por enquanto, o aplicativo funciona apenas em São Francisco, Nova Iorque e Austin, nos Estados Unidos, mas a equipe já está trabalhando na liberação do uso em outros lugares, devido a novos investimentos na ferramenta.


9 - Aplicativo para celular elege as melhores posições sexuais

300+ Best Sex Positions HD. (Foto: Divulgação)
Seguramente o Kama Sutra é uma das primeiras referências quando o assunto é posição sexual. O milenar e famoso livro ganhou, além das prateleiras de todo o mundo, inúmeras versões e adaptações, visando não somente a instrução dos aprendizes, mas também, sua rápida consulta, a exemplo das versões de bolso, que prometiam salvar ou apimentar seus momentos aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo.


O universo dos aplicativos para produtos Apple lançou uma versão bastante equivalente ao consagrado livro indiano: um app capaz de informar quais posições são preferidas por usuários, além de outras vantagens. Além do conteúdo sexual com mais de 300 sugestões de posições, o programinha conta também com acesso protegido por senha, o que traz certa tranquilidade ao usuário.
Existem versões e aplicativo similares para Android também.


10 - Software que analisa quem é gay ou não no Facebook


Software online desenvolvido pelo MIT (Instituto Tecnológico de Massachusetts), que gerou polêmica por ter a capacidade de dizer quem é gay ou não através de uma análise estatística sobre os dados dos perfis dos usuários do Facebook.


Chamado de “Gay-dar“, o software levantou novamente a preocupação sobre a privacidade online e como manter em segredo informações pessoais que ninguém quer que sejam reveladas.
O usuário do Orkut pode revelar a sexualidade ao preencher o campo “Orientação Sexual”. Já no Facebook, a pergunta não existe mas o usuário pode dizer em quem está interessado – em homem e/ou mulher.
Enquanto para alguns o assunto é um grande problema, para outros não há drama algum em revelar a sexualidade online.

Opinião G@:

É Assustador perceber que o mundo em que vivemos está cada dia mais estranho. Os valores invertidos, ou mesmo a falta de valores tem sido geral e ao vermos isso percebemos que as pessoas estão se afastando mais e mais dos propósitos divinos e seguindo a sua própria vontade, seus desejos, exaltando a futilidade e o "Amor Líquido". A bíblia diz que nos queixamos dos nossos próprios erros e somos provados pelo nossos desejos. Nos resta pedir que a sabedoria de Deus nos ilumine nesses tempos tenebrosos.

Compilado do Techtudo e dolado

O que você achou?

2 comentários:

  1. Amigo,tenho um blog que comecei agora pelo motivo do Google ter deletado meus seguidores, passei e vi seu blog e gostei,e quero deixar um convite: Gostava que fizesse parte de meus amigos virtuais no blog Peregrino e Servo, retribuirei de seguida. Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Meu marido virou um grande preguiçoso e muito trivial na hora do sexo. Então, decidi tomar uma medida definitiva. Confesso que nem sempre é fácil trair um cara legal. Tem o remorso, é claro, e também toda uma vida paralela a ser organizada. Porém, vale a pena. Hoje eu chego ao êxtase com frequência, com homens às vezes solteiros ou, como eu, vítimas de uma pesada rotina sexual. Juntos, temos momentos intensos de prazer http://www.netadulterio.com

    ResponderExcluir

Expresse sua opinião Livremente! Apenas considere que:

(1) Discutir não é problema, desde que seja feito de maneira educada, respeitosa e que considere o direito do outro divergir.
(2) Palavras de baixo calão ou textos ofensivos serão apagados pela moderação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...