29 de nov de 2012

40% dos líderes evangélicos bebem álcool, segundo pesquisa nos EUA


Quarenta por cento dos líderes evangélicos americanos dizem que “bebem álcool socialmente,” de acordo com uma pesquisa mensal.

Muitos deles alegam que bebem “com moderação,” “em ocasiões especiais,” ou “raramente" e  o fazem somente com aqueles que possuem a mesma visão sobre o consumo de álcool. A enquete foi baseada em respostas do Conselho de Diretores da Associação Nacional dos Evangélicos, incluindo os Diretores Gerais das denominações e representantes de um vasto leque de organizações evangélicas dos EUA.

Entre a maioria que diz não consumir álcool, a razão comum para a abstinência, não foi porque eles acreditam que é pecado beber, mas sim a "não coveniência":

“Ainda que haja proibição do consumo de álcool moderado nas Escrituras, devido às muitas implicações, como um exemplo para família e aqueles que eu sirvo, eu gosto das palavras de Paulo, é melhor não: 'Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outra coisa em que teu irmão tropece.' (Romanos 14:21),” disse Gary Benedict, presidente da Aliança Missionária e Cristã (The Christian and Missionary Alliance), de acordo com a pesquisa da NAE.

Para alguns, suas denominações não permitem que líderes bebam.

“Enquanto nós entendemos que uma pessoa não pode defender [a abstinência do álcool] biblicamente, nós escolhemos elevar o padrão para a liderança em nosso movimento,” disse Jeff Farmer das Igrejas Bíblia Aberta (Open Bible Churches).

Outros dizem que eles se abstêm da bebida por causa do alcoolismo na família, um desejo de ser um exemplo para gerações mais jovens, ou pelo efeito que o álcool tem na sociedade.

Um estudo anterior de Protestantes no país, descobriu que 68 por cento dos pastores disseram que o consumo racional do álcool é uma “liberdade bíblica,” e mais da metade (54%) das pessoas leigas concordaram.

Ao mesmo tempo, 90 por cento do clero disse que um Cristão que bebe álcool, pode levar outros crentes a tropeçarem ou ficarem confusos, constatou a pesquisa da LifeWay.

A Associação Nacional dos Evangélicos, com sede em Washington, D.C., representa mais de 45.000 Igrejas locais de cerca de 40 denominações diferentes e serve como eleitorado de milhões. A NAE define um evangéllico como alguém que leva a Bíblia seriamente e acredita em Jesus Cristo como Salvador e Senhor.

O que você achou?

1 comentários:

  1. Na minha opinião e também com base na Sagrada Escritura, a Igreja não deve apoiar o consumo de álcool, mas sim deixar essa decisão para o membro, que usando de seu livre arbítrio, deverá decidir se tem ou não condição de beber sem cometer o pecado da embriaguez. Quanto ao fato de se escandalizar os irmãos da Igreja, penso de deve ser usado o bom senso. Se na sua Igreja o consumo do álcool não é comum, não seria conveniente receber em sua casa, por exemplo, pessoas para um culto religioso e em seguida servir bebida alcóolica. Não é o momento.

    ResponderExcluir

Expresse sua opinião Livremente! Apenas considere que:

(1) Discutir não é problema, desde que seja feito de maneira educada, respeitosa e que considere o direito do outro divergir.
(2) Palavras de baixo calão ou textos ofensivos serão apagados pela moderação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...