22 de abr de 2013

Pastor Djalma de Ogum, recebe elogios de candomblecistas por ecumenismo


O pastor Djalma Torres, que em 2012 recebeu o prêmio de Direitos Humanos, da presidente Dilma Rousseff, foi tema de um artigo publicado na coluna Balaio de Ideias do jornal A Tarde, elogiando seu trabalho em prol da diversidade religiosa.

Escrito por Jaime Sodré, seguidor do candomblé, o texto elogia o trabalho do pastor Djalma Torres contra a violência e preconceito entre as religiões. O artigo traz o controverso título “Pastor Djalma de Ogum”, misturando o título pastoral com uma nomenclatura destinada a seguidores do candomblé.

Em seu texto, além de parabenizar a luta do pastor Djalma Torres, Sodré fala sobre sua presença na comemoração de 35 anos da Igreja Batista de Nazareth, que teve o pastor como preletor.

- No mínimo estranheza deveria, em outros tempos, causar a visita de um fiel do candomblé a um templo protestante, mas assim o fizemos por obediência à orientação de Ebomi Cidália, que recomendava esta salutar visita para estreitar laços de amizades, enriquecer o conhecimento e abraçar amigos – afirmou o candomblecista, que ressaltou também a hospitalidade com que foi recebido na igreja.

- Acolhidos, estávamos em casa, sem restrições ou olhares de intolerâncias. Só respeito e carinho. Muita luta ocorreu, tendo como abrigo esta Igreja, contra a ditadura, em favor da democracia plena, dos direitos humanos, contra as injustiças no campo e na cidade – detalhou.

Jaime Sodré, que é doutorando em História Social e professor universitário, teceu elogios à atuação social do pastor, que o levou a receber o prêmio de Direitos Humanos na categoria Diversidade Religiosa.

- Em especial, destacamos a participação solidária na luta contra a intolerância religiosa, reconhecimento e respeito à diversidade sexual. Estimulando o dialogo com as paróquias católicas, comunidades protestantes e movimentos sociais, a Igreja alargava o seu horizonte – afirmou.

- Na compreensão de que o Reino de Deus é maior do que as suas paredes, sejam físicas ou mentais’ destacamos a disposição do pastor Djalma Torres em dialogar, compreender e participar, como militante ativo, contra as manifestações que vinham de grupos religiosos que, numa demonstração de inadaptação de uma convivência inter-religiosa, atacavam o Candomblé – completou Sodré, que explicou também o título dado ao texto.

- O Pastor Djalma Torres, pela sua seriedade e apoio às nossas causas, tornou-se um irmão especial, e para retribuir este seu carinho e solidariedade, o povo-de-santo, reconhecendo a sua coragem, sinceridade, em um tom alegre, jocoso, mas respeitoso, desejando ter a honra de integrá-lo em nosso meio, resolveu chamá-lo de Pastor Djalma de Ogum – explicou o candomblecista.

- Que Ogum lhe dê força e perseverança. Pastor Djalma, de Ogum e de todos aqueles que têm a chance da sua amizade sincera – finalizou.

Confira um vídeo em que o Pastor fala sobre a intolerância religiosa:


Há muita coisa bonita no candomblé, assim como há muita coisa bonita no espiritismo... O fato de eu ir a um Terreiro de Candomblé, de ser amigo de uma Yalorixá ou de ser amigo de um líder espírita, não diminui a minha fé. Eu agradeço muito a Deus o privilégio de viver esta experiência.” Pastor Djalma Torres

O que você achou?

1 comentários:

  1. Gostei muito do blog. Vocês conhecem o Programa De Olho No Mundo?(www.deolhonomundo.com) Aline em seu programa analisa a essência humana, o mundo, astrologia, fenômenos ocultos..., em sua plenitude. Tenho certeza que vocês gostarão. Abraços.

    ResponderExcluir

Expresse sua opinião Livremente! Apenas considere que:

(1) Discutir não é problema, desde que seja feito de maneira educada, respeitosa e que considere o direito do outro divergir.
(2) Palavras de baixo calão ou textos ofensivos serão apagados pela moderação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...